segunda-feira, 4 de novembro de 2013

Uma homenagem muito especial

No dia 24 de outubro de 2013, eu participei da Feira do Livro de Sete de Setembro, um pequeno mas próspero município da região Noroeste do estado do Rio Grande do Sul e próximo de Santo Ângelo. Eu fui como Autor Presente e a prefeitura fez a aquisição das obras, distribuindo entre as escolas municipais. A partir disso, as escolas fizeram as leituras e vários trabalhos.
O que mais me chamou a atenção, foi a homenagem que os professores e alunos da EMEF Sargento Pedro Krinski fizeram para mim: dois poemas, sendo que um deles faz uma referência ao livro "Os amigos de Elvira" e outro para mim mesmo a partir de uma trajetória pelas obras lidas. A emoção foi muito grande, pois eu nem imaginava algo parecido com isso. Senti-me grandemente recompensado e querido por uma comunidade que confiou aos seus filhos as obras que eu escrevi com grande sacrifício e desempenho pessoal e profissional.
Com certeza, tudo o que eu assisti naquele dia ficará guardado na memória. Para todos aqueles que estiveram envolvidos na organização do evento, iniciando pela própria prefeitura e a sua prefeita, Rosane Grabia, e depois pela Secretaria de Educação e Cultura, em nome da Secretária Alice Kapelinski, e todos os funcionários da prefeitura envolvidos na organização do evento. A todos vai o meu mais profundo agradecimento pelos momentos memoráveis que passei no município e parabéns pela organização do evento.
Os poemas são os que transcrevo abaixo:

História de Elvira

Eu sou a Elvira
A rosa, o peixe e o sapo
Foram os meus primeiros amigos
Mas, com eles eu não queria papo.

Foi daí que eles,
Numa prosa me falaram?
Que amigo é pra ajudar
E a felicidade encontrar.

Que bobagem eu pensei
Mas, a professora me convenceu
Pois, essa história encantada
Ela também viveu.

Porém faltava uma atitude
Lá do fundo do coração:
Transformei o sapo em palhaço
E a rosa numa fada, com vara de condão.

Percebi que foi tão fácil
Conquistar o meu espaço
A amizade que eu precisava
Estava num simples abraço.

Escritor Paulo Bocca, você quer ganhar um abraço?

Aluna recitadora: Camila Castanho (4º ano)
Letra: professora Sandra Loureiro
Professoras: Sandra Loureiro, Nelci Wolff, Claúdia Kapelinski e Sandra Kleszta
Diretora: Sandra Loureiro
EMEF Sargento Pedro Krinski - Linha Boa Vista - Sete de Setembro - 24 de outubro de 2013


Um escritor maravilhoso

Hoje é um dia especial
Para nossa pequena cidade
Vamos conhecer e falar de um gaúcho
Por isso, receba nossa hospitalidade.

Então, vamos contar
Para toda essa gente
Algumas obras notáveis
De Paulo Bocca, autor presente.

Um escritor gaúcho
Que é honra para nós
Nos mistérios e aventuras
Ele solta a sua voz.

Mas, falando em histórias
Dá arrepio só de pensar.
Num monstro debaixo da cama
Que batalha vamos enfrentar?

Isso tudo é magia,
Deitar na grama e observar
Que no bailado das nuvens
Várias histórias podemos criar.

É... as nuvens vão e vem...
Levam às vezes quem queremos bem...
Foi assim com o Rabicho
Cãozinho que foi para o alto, pro além.

E ainda tem as almas esquivas,
Contos bons barbaridade
Traduzem o dia a dia, a fantasia
Mas, todos são relatos de verdade.

Sabe, meu colega
Este escritor é muito criativo
Ainda é poeta, músico e compositor
Legal! Hoje vamos assisti-lo ao vivo.

Para ti, Paulo Bocca
Fica na nossa memória
As suas obras que estudamos
Que agora fazem parte
Do acervo de nossa história

Alunos recitadores: Edson Mankoowski (5º ano) e João Miguel Baier (4º ano)
Letra: professora Sandra Loureiro
Professoras: Sandra Loureiro, Nelci Wolff, Claúdia Kapelinski e Sandra Kleszta
Diretora: Sandra Loureiro
EMEF Sargento Pedro Krinski - Linha Boa Vista - Sete de Setembro - 24 de outubro de 2013

terça-feira, 18 de junho de 2013

Indignação atávica

Pois amigos, os últimos tempos têm sido de extrema perplexidade para os olhos do mundo, no que se refere aos acontecimentos no Brasil. Refiro-me à grande mobilização nacional da noite de 17 de junho de 2013, quando aconteceram manifestações populares nas principais cidades brasileiras e até fora do país.

Tudo começou com a indignação do preço das passagens do transporte público e chegaram (finalmente!) às causas maiores e muito mais abrangentes, de grande interesse nacional. O sentimento que se vê nas ruas (falo de manifestantes e não de baderneiros) é de profunda revolta e indignação com tudo o que assistimos pela TV: corrupção, descaso com a educação, saúde e segurança, sobre políticos homófobos, sobre a PEC 37, os gastos absurdos com uma Copa do Mundo em que a FIFA irá ganhar horrores e o país ficará com "elefantes girafoides hipertrofiados", chamados de arenas.

O que estamos assistindo lembra o 26 de junho de 1968 (a Marcha dos Cem Mil); o mega-comício de janeiro de 1984 pelas Diretas Já; e o Movimento Caras-Pintadas de 1992 que levou ao impeachment de Collor (bata na madeira!). Agora estamos recuperando as atitudes "ancestrais" que permaneceram latentes durante esse período. E tudo isso sem que o povo aceite a participação dos partidos políticos, os grandes causadores de toda essa descrença, de toda corrupção sabida e divulgada, por abrigarem os maiores criminosos da nação e que se apropriam do bem-público.

Assim diz o ditado: Vox populi, vox Dei.

Esperemos que tudo não seja fumaça de palha seca. Da mesma forma, esperamos que a Presidenta Dilma se manifeste publicamente e não através de notas oficiais e através de seus bonecos falantes. O recado também foi lançado aos deputados federais e aos senadores, bem com aos deputados estaduais, prefeitos e vereadores.

Alea jacta est.